Instituições financeiras poderão digitalizar documentos, decide CMN.

Essa será uma alternativa à microfilmagem, informou o Banco Central. Está sendo oferecida a possibilidade de novas tecnologias, explicou.

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou a resolução nesta quinta-feira (31) autorizando as instituições financeiras a digitalizarem os documentos. Segundo o Banco Central, essa será uma alternativa à microfilmagem, processo utilizado atualmente para armazenar dados.

A autorização já está em vigor, mas ainda depende de uma circular, com detalhamento de normas técnicas, para poder ser implementada, o que deve acontecer nas próximas semanas, informou o Banco Central.

A norma editada, informou a instituição, estabelece requisitos a serem observados pelas instituições financeiras na digitalização de documentos, no que diz respeito à produção, ao armazenamento, à manutenção e ao acesso aos documentos digitalizados e às suas cópias de segurança, bem como ao procedimento de descarte de documentos originais.

“O cheque, por exemplo, é microfilmado. Está sendo oferecida a possibilidade de novas tecnologias. A digiltalização é opcional”, explicou a chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central, Silvia Marques, acrescentando que qualquer documento pode ser digitalizado, como contratos de financiamento e de abertura de crédito, entre outros.

Segundo ela, pelo fato de a microfilmagem ser uma tecnologia antiga, os bancos estavam encontrando dificuldade para  encontrar peças das máquinas e técnicos habilitados a operá-las.

De acordo com o Banco Central, essa regulamentação se insere no Projeto Otimiza BC e propicia às instituições financeiras uma opção “moderna, ágil e eficiente para a gestão documental”.

Fonte: G1

Leave a Reply