Crise? O mercado de franquias passa longe e continua crescendo!

Mercado de franquias faturou R$ 35,5 bilhões no terceiro semestre de 2015.

Setor de Franquia continua crescendo

Setor de Franquia continua crescendo

No terceiro semestre de 2015, ou seja, entre julho e setembro, o mercado de franchising brasileiro registrou um crescimento de 8,2% em relação ao mesmo período de 2014. Essa porcentagem significa um faturamento de R$ 35,5 bilhões no total. Já desde o começo do ano, de janeiro a setembro, a soma do faturamento soma R$ 99,385 bilhões – 10,1% maior do que no mesmo intervalo de tempo do ano passado. Os números são da ABF (Associação Brasileira do Franchising), que os apresentou na 15ª Convenção ABF do Franchising que ocorreu na ilha de Comandatuba.

O número de unidades franqueadas também aumentou no terceiro trimestre com 1,9%, sendo um total de 133.897 franquias funcionando no Brasil. Apesar de ser um crescimento mais controlado em relação a outros anos, os processos de expansão não param, segundo Claudio Tieghi, diretor de inteligência do mercado, relacionamento e sustentabilidade da ABF.

Para o restante do ano de 2015, prevê-se que o mercado de franquias cresça de 7% a 10% no faturamento em relação a 2014. “Queremos bater pelo menos a inflação. Nossa luta é para ter boas margens e manter os índices de lucratividade. E isso passa por aumentar a produtividade”, comentou Cristina Franco, presidente da ABF.

Os setores de Educação e Treinamento; Negócios, Serviços e outros varejos; e Veículos foram os que mais registraram crescimento, com 15% cada um, enquanto logo em seguida Hotelaria e turismo obteve 14%. Para Cristina, as redes de escolas de idiomas foram bastante beneficiadas pelo momento instável da economia. “Com medo do desemprego, as pessoas querem estudar mais – ou para manter o emprego que têm ou para conseguir outro caso o percam”.

Como uma franquia iniciante concorre com as grandes redes?

Uma das grandes competências que as franquias possuem em comparação a empresas convencionais é a habilidade de crescimento exponencial dos negócios, muitas vezes mesmo em meio à crise, sendo um crescimento estimulado pela atração de novos empreendedores interessados em investir em um negócio próprio que já tenha um know-how, presença no mercado, marca estabelecida, etc. Entretanto, como ficam as franquias iniciantes neste panorama?

Franquias consolidadas também eram pequenas

São diversas as redes atualmente que estão há alguns anos no mercado e já somam entre 100 e 500 unidades ao redor do país. No entanto, todas elas também começaram pequenas e, principalmente, competindo com grandes concorrentes antes de se tornarem o que são. Como bons exemplos, podemos citar as redes de idiomas e de docerias, que entraram no mercado nos últimos anos com novas abordagens, métodos, condições de investimento e rentabilidade bem atrativa para os empreendedores.

O grande já foi Pequeno

O grande já foi Pequeno

Sendo assim, não é preciso subestimar uma franquia que esteja em seu início, pois de nenhuma forma significa que ela terá dificuldade em concorrer com grandes redes no mercado do mesmo segmento – os potenciais clientes veem as novas redes como mais uma opção de consumo e experiência. O que vale a pena ficar atento mesmo é na estrutura da franquia, a perseverança e flexibilidade para mudar quando necessário e rever estratégias diante do mercado e concorrentes.

Microfranquias podem facilitar a gestão

Estar no controle de uma grande franquia de marca reconhecida já é um trabalho bastante puxado – imagine duas! É aí que as microfranquias entram nas escolhas que mais agradam os empreendedores nos dias de hoje. Quando uma microfranquia dá certo e fornece um ótimo retorno ao investidor, obter uma segunda da mesma rede permite uma gestão bem menos complexa do que quando falamos de franquias grandes e consolidadas no mercado.

Atualmente, algumas ótimas alternativas de investimento para quem está a fim de ter o próprio negócio são as microfranquias – em meio à crise o crescimento chegou a 11,2% no primeiro semestre de 2015. No entanto, para um público mais específico que já trabalha no setor de vendas, por exemplo, as microfranquias são opções ainda melhores.

Além de ter um baixo investimento inicial, certas microfranquias possibilitam que o franqueado trabalhe apenas em um setor dependendo do estilo de negócio. Não há necessidade de estoque, ponto de venda ou qualquer estrutura física própria, sendo que pode ser tudo trabalhado através do modelo home office com uma equipe reduzida ou até mesmo de somente uma pessoa.

O potencial do interior para o mercado de franquias

Segundo um estudo feito pela a Associação Brasileira de Franchising (ABF) para o Sebrae, três a cada quatro (75%) das franquias associadas à instituição se concentram nas capitais e regiões metropolitanas. Somente 25% estão localizadas nas cidades do interior do Brasil. Ao mesmo tempo, a pesquisa também mostra que há grandes oportunidades e um alto potencial para as franquias no interior que merecem atenção dos empreendedores.

Outros levantamentos realizados mostram que o consumo fora das grandes capitais chega a aproximadamente R$ 827 bilhões por ano, que equivalem a 38% de todo o consumo do país. Luiz Barretto, presidente nacional do Sebrae, ainda afirma que de cada R$ 10 gastos no país, R$ 4 são gastos em cidades do interior. O crescimento do consumo em cidades do interior cria um cenário promissor para pequenos e grandes negócios, inclusive quando se tratam de franquias.

Franquias são um bom negócio para pessoas jovens também

Com modelos de negócios já testados, suporte de toda uma equipe capacitada e riscos menores do que de empresas convencionais, as franquias fazem sucesso entre pessoas que desejam empreender. Não são infalíveis, pois necessitam de responsabilidade, dedicação e capacidade para a hora de tomadas de decisões importantes, no entanto, é através das franquias que muitos jovens americanos têm adquirido conhecimentos práticos para se destacar no mercado – o que tem dado certo. Franquias baratas são ótimas opções de negócio para jovens, por também não possuírem uma situação financeiras mais estável, as microfranquias, que são mais baratas, acabam sendo a possibilidade perfeita para os jovens começarem o próprio negócio sem se comprometerem financeiramente.

Fontes: Sua Franquia – EXAME – Sebrae – PEGN

 

 

Leave a Reply